Roteiros

Pontos de interesse

» Museu do Côa, Vila Nova de Foz Côa
» Parque Arqueológico do Vale do Côa: Núcleo da Penascosa - freguesia de Castelo Melhor, Núcleo da Ribeira de Piscos - freguesia de Muxagata, Núcleo da Canada do Inferno- Vila Nova de Foz Côa
» Igreja Matriz de Vila Nova de Foz Côa
» Estações Arqueológicas e Museu da casa grande-Vila de Freixo de Numão
» Castelo de Numão-freguesia de Numão
» Miradouro de São Martinho-freguesia de Seixas
» Miradouro da Serra-Freguesia de Touça
» Castelo de Marialva
» Capela de Santa Quitéria (Sinagoga)
» Muro dos namorados- Castelo Melhor

Locais para a prática de desporto

» Pavilhão Gimnodesportivo de Vial Nova de Foz Côa
» Campo de Ténis
» Campo de Basquete
» Piscina Coberta

Locais de lazer nas proximidades

» Piscinas municipais (cobertas e descobertas)- Vila Nova de Foz Côa;
» Praia fluvial das frieiras-Freguesia de Vila Nova de Foz Côa-Lugar do Pocinho;
» Praia fluvial da Foz do Sabor-Torre de Moncorvo-freguesia da Foz do Sabor.
» Percursos pedestres-Concelho de Vila Nova de Foz Côa.

Natureza

» Parque Natural do Douro Internacional (Algumas das espécies possíveis de observar: Cegonha negra, a águia-real, o grifo, o abutre do Egipto, a gralha de bico vermelho, a águia de Bonelli, o falcão peregrino e o bufo real).

Espaços internet

» Loja “Ponto Já”, IPDJ

Eventos e festividades

» Festa da Amendoeira em Flor e dos Patrimónios Mundiais, última quinzena de fevereiro e a primeira de março.
» Festival do Vinho do Douro Superior, segunda quinzena do mês de maio.
» Festival da Juventude (Côa Summer Fest), última quinzena de agosto.
» Metac in Viso, segunda quinzena do mês de julho.
     

Vida noturna

» Bar do Jó
» Tiro-Liro Bar
»  Cohiba Bar
»  Gaiteiro Bar

Outros dados de interesse

» Migas de peixe, salada de azedas, cabrito assado, omeletas de espargos silvestres, peixe do rio, bacalhau assado, migas de bacalhau, coelho com pilongras, salada de acelgas
Enchidos: chouriça, farinheira, alheira e moiro.
Doces: almendrados, súplicas, cavacas, filhoses, biscoitos, bolas toscas.
Produtos endógenos: vinho (de consumo e vinho generoso), azeitona, azeite, amêndoa, mel de rosmaninho.

Histórica cultural
Foz Côa

Foz Côa: uma viagem ondulante rumo ao Paleolítico

A Pousada da Juventude de Foz Côa localiza-se no coração de uma paisagem natural ímpar - o Alto Douro Vinhateiro, considerado desde 2001 Património Mundial da Humanidade. Ponto de partida para uma viagem imemorial à história dos nossos antepassados, através de uma visita ao Museu do Côa e às famosas gravuras do Côa, expostas no Parque Arqueológico do Vale do Côa, a Pousada de Juventude também é um excelente refúgio para as confusões das grandes cidades, bebendo da tranquilidade e da paz com que a natureza envolvente nos brinda diariamente. Desafia os teus professores a organizarem uma visita de estudo até cá e juntas o útil ao agradável?!

Passas uns dias em grande na Pousada, que não podia ser melhor, ficas a saber mais sobre a história dos nossos antepassados e ainda podes praticar o teu desporto de aventura de eleição! Em grupo de amigos, em família ou sozinho, aventura-te numa viagem até ao nordeste transmontano!

Roteiro

Aqui, onde o Côa se une ao Douro, por pouco não se encontram dois patrimónios mundiais: o das vinhas e o das gravuras rupestres.

Do terraço da Pousada de Juventude de Foz Côa o cenário é deslumbrante. Quase nos esquecemos do frio, enquanto contemplamos esta paisagem única, cheia de altos e baixos, que não impediu o homem de cultivar vinhas, oliveiras e amendoeiras.

Este ano tem estado frio, muito frio. E com frio as amendoeiras atrasam esse momento único em que se abrem em flor, oferecendo um espetáculo que se prolonga por alguns dias. Este ano, pensa-se que no final deste mês de fevereiro, início de março, as amendoeiras vão voltar a florescer com toda a força e a pintar de branco e rosa todos estes vales.

Se pensares em vir até cá por essa altura, a uma das muitas festas das amendoeiras em flor (em Foz Côa há um famoso desfile etnográfico), considera a hipótese de apanhares o comboio. Todos os anos a CP realiza a Rota das Amendoeiras em Flor, com passeios especiais do Porto até à estação de Pocinho, que fica a escassos quilómetros daqui.

Mesmo sem amendoeiras em flor, há muito para ver (e saborear) em Foz Côa. Depois de tomares o pequeno-almoço na Pousada, podes ir conhecer o centro da vila, onde os deliciosos “almendrados”, bolinhos de amêndoa caraterísticos da terra, felizmente se podem provar ao longo de todo o ano. Encontra-los facilmente numa das pastelarias da rua pedonal de São Miguel, mais conhecida por Rua do Comércio.

Antes do almoço, aproveita para visitar a Igreja Matriz com a sua fachada Manuelina, e as capelas de Santa Quitéria, de São Pedro e de Santa Bárbara. Vale a pena espreitares também a capela Barroca de Santo António, que fica no Parque com o mesmo nome.

Ao almoço, aconselhamos-te uns peixinhos do rio, ou cabrito, ou ainda um dos vários pratos de caça, que fazem parte obrigatória da cozinha desta zona.

O Museu do Côa fica ligeiramente afastado do centro. Encerra às 17 e 30, por isso é bom não chegares tarde. Agora em fevereiro, fecha para almoço, mas às 14 horas reabre. Reserva pelo menos duas horas para o visitares – não te vais arrepender.

Ao chegar serás surpreendido desde logo com o enquadramento do Museu. Se gostas de fotografia, convém teres a bateria da máquina bem carregada porque vai apetecer-te tirar fotos não só ao entono natural (com vista quer para o rio Côa, quer para o Douro), como à espetacular obra arquitetónica que alberga a coleção, idealizada pelos jovens arquitetos Camilo Rebelo e Tiago Pimentel.

Para entrares no Museu, tens de descer uma longa rampa. Dá a sensação de que estamos a entrar numa gruta! Até à descoberta do património do Côa pensava-se que só havia arte rupestre em grutas. Vais saber isto e muito mais no mergulho ao Paleolítico que o Museu proporciona e onde estão reproduzidas algumas das mais emblemáticas gravuras que foram descobertas em pedras ali perto, em diferentes pontos do vale do Côa. 

E vais surpreender-te com esta arte dos nossos antepassados, feita com recurso a pedra, madeira e osso, que apresenta já noções como a perspetiva, o volume e até o movimento.

Não te vamos contar muito mais, não queremos estragar a surpresa. Dizemos-te só que as gravuras que ali estão em destaque são do Paleolítico Superior (de há 25 mil a 10 mil anos), mas também da Idade do Ferro (há 2500 anos) e do neolítico (terceiro milénio antes de Cristo). Percebe-se bem por que razão a UNESCO considerou esta área Património Mundial da Humanidade em 1998.

Aconselhamos-te a não deixares Foz Côa sem fazer uma visita às gravuras no terreno, que implicam marcação prévia no Museu do Côa. Há três núcleos visitáveis e o passeio, acompanhado por guia, é uma experiência inesquecível. Vai-se de jipe e obriga depois a uma caminhada, maior ou menor, consoante o núcleo que decidas visitar: Canada do Inferno, Ribeira de Piscos ou Penascosa. Neste último realizam-se, por vezes, visitas noturnas às gravuras.

Dito isto, resta-nos apenas desejar-te uma boa viagem no tempo.

Pousada de Juventude de Foz Côa
Preço por pessoa/noite: a partir de €11, com pequeno-almoço incluído.

 

(*) Este artigo foi escrito no âmbito da parceria entre o Jornalíssimo e as Pousadas de Juventude. 

Reserva já

Visitar Pousada

Subscreve a newsletter das Pousadas de Juventude!

Fica a saber tudo o que aconteceu, está a acontecer e vai acontecer num futuro próximo. Eventos, campanhas, borlas, passatempos, notícias de última hora... tudo e mais alguma coisa na newsletter das TUAS Pousadas de Juventude

Contacta-nos